© José Caldeira / “Rubble King”, de Duarte Valadares, com interpretação de Marco da Silva Ferreira, Palcos Instáveis // © Pedro Sardinha/TMP / “Lowlands”, de Helder Seabra, com interpretação de Afonso Cunha, Dinis Duarte, Joana Couto, Mário Araújo, Lea Siebrecht, Pedro Matias e Sara Santervás // © Ivo Tavares / “Teia” de Sara Garcia, com interpretação de Dinis Duarte, Francisco Pinho, Jéssica Gil, Carolina Ferreira e Sara Garcia, “Percursos pela Arquitetura”

Instável – Centro Coreográfico

É com grande alegria que lançamos a primeira versão do novo website da Instável – Centro Coreográfico! Será neste espaço em crescimento que estará disponível toda a informação sobre as diversas áreas de atividade da Instável: as novas criações em dança contemporânea, programas de formação e apoio para criadores, residências artísticas, programação, entre outros. Lançamos o convite para conhecer os espetáculos e oportunidades que preparámos para as próximas semanas!

FOCAR - Formação Orientada em Coreografia para Arquitectura é um programa de formação direcionado para criadores da área da dança contemporânea que se interessem por explorar a dança em espaços informais, “não convencionais”, públicos e privados.

FAÍCC – Formação Avançada em Interpretação e Criação Coreográfica é um programa de formação intensivo, dinâmico e interdisciplinar, que decorre no primeiro semestre de cada ano na Instável. Dirige-se a intérpretes e criadores com bases sólidas de dança contemporânea que pretendem aprofundar os seus conhecimentos através de um processo orientado para a profissionalização nas áreas da interpretação e da coreografia.

Palcos Instáveis/1as Obras é um projeto de incentivo à criação emergente em dança contemporânea. Criadores em diferentes níveis de consolidação são desafiados a propor novas obras para desenvolver através dos Palcos Instáveis. As propostas selecionadas beneficiam de bolsa de criação, espaço de residência, acompanhamento artístico, e apresentação no Teatro Municipal Campo Alegre.

  • até 31 ago

A forma como se percepciona o Eu e Outro é condicionada por uma complexa lente histórico-cultural, que influencia e molda identidades individuais e papéis sociais, que se esperam e desempenham. Nesta peça, duas pessoas confrontam-se, encenando tensões e ambiguidades das relações contemporâneas.

  • 10 set / Teatro Municipal de Vila Real, Vila Real