© Pedro Sardinha/TMP / “Lowlands”, de Helder Seabra, com interpretação de Afonso Cunha, Dinis Duarte, Joana Couto, Mário Araújo, Lea Siebrecht, Pedro Matias e Sara Santervás // © José Caldeira / “Rubble King”, de Duarte Valadares, com interpretação de Marco da Silva Ferreira, Palcos Instáveis // © Ivo Tavares / “Teia” de Sara Garcia, com interpretação de Dinis Duarte, Francisco Pinho, Jéssica Gil, Carolina Ferreira e Sara Garcia, “Percursos pela Arquitetura”

Ao longo de 14 semanas, os participantes terão a oportunidade de planear e implementar estratégias de gestão, produção, comunicação e financiamento, no âmbito das Artes do Espetáculo, nomeadamente nas áreas do teatro e da dança, oferecendo aos formandos ferramentas para integração em contexto profissional.

O Pulso é um programa de capacitação e incentivo a jovens criadores, que tem como objetivo dotar os participantes de ferramentas que apoiem o desenvolvimento dos seus trabalhos.

Criando uma atmosfera imersiva e de teor especulativo, a audiência é convidada a situar-se. Não é uma apresentação no espaço mas uma apresentação do espaço em permanente devir: fugaz e expansivo.

  • 18 e 19 fev / Teatro Municipal do Porto - Campo Alegre

A forma como se percepciona o Eu e Outro é condicionada por uma complexa lente histórico-cultural, que influencia e molda identidades individuais e papéis sociais, que se esperam e desempenham. Nesta peça, duas pessoas confrontam-se, encenando tensões e ambiguidades das relações contemporâneas.

  • 3 fev / Teatro Virgínia, Torres Novas

Em fevereiro, a Instável recebe uma masterclass de Willi Dorner. "From dancing into different medias" é uma formação online que pretende explorar a relação do corpo com o espaço e a arquitetura.

  • 6 fev / Online