Rubble King introduz um curto período de atenção, uma criatura investigadora do arquétipo. Uma entidade numa sandbox, um local de informação ilimitada, um circuito excessivamente produtivo à procura de arquétipos com que se alimentar. Vários estados através da mudança de atenção e esquivando-se da conclusão, um ridículo racional.

Depois da estreia, em fevereiro deste ano, Juliana Fernandes e Victor Gomes levam a sua criação até Aveiro.

"Na Ausência da Ternura" e "Intimidade Simplificada", são os títulos a ser apresentados nesta "rubrica" dos Palcos Instáveis por Aveiro. Juliana Fernandes e Victor Gomes levam a Aveiro o espetáculo estreado em fevereiro deste ano, enquanto que Teresa Pereira da Silva apresenta pela primeira vez “uma resposta para a inércia do corpo e fragilidade do discurso”.