© Joana Rodrigues \ Masha Pyatkova, na sua criação B…issues, apresentada na
Mostra de Jovens Criadores 2019

INSTÁVEL

Centro Coreográfico

 

Fundada em 1999 por Ana Figueira, ao longo de cerca de 10 anos a Instável deu-se a conhecer através dos projetos de Companhia: em cada ano, um coreógrafo conceituado seleciona bailarinos em audição e cria uma nova peça em residência, para depois estrear e circular tanto quanto possível. Com a mudança para o Teatro do Campo Alegre, em 2011, a Instável amplia e consolida o seu trabalho, dando início ao seu caráter de Centro Coreográfico.

VER MAIS
URNA
de Joana Couto

Como é que se desconstrói o indivíduo informado cultural e socialmente, depois de entrar no loop das suas próprias cegas convicções? Urna é a oportunidade não aproveitada, perdida para sempre num não-tempo longínquo. É a perda de perguntas significativas e a obsessão por respostas tranquilizadoras e efémeras. Urna é o que sobra depois da curiosidade, que se torna opressão, que cede lugar ao cacófonico redundante, que por sua vez cede o lugar ao absurdo, que cede o lugar ao vazio, que cede o lugar a novas possibilidades, que geram outras curiosidades. E assim por diante para sempre. O que sobra é um loop; movimentos, palavras, símbolos esvaziados de significado, repetem-se até ao ridículo para podermos refletir acerca da urgência de reduzir (ou elevar?) o ser humano à besta rendida.

2024, Abril
Sex
até 19 abr

Audições Online FOCAR / Formação Orientada em Coreografia para Arquitetura

FOCAR - Formação Orientada em Coreografia para Arquitectura é um programa de formação direcionado para criadores da área da dança contemporânea que se interessem por explorar a dança em espaços informais, “não convencionais”, públicos e privados.

Sáb
27 abr

TAKE / Nova Criação de São Castro e António M Cabrita para a Companhia Instável

Quando pensamos em som, a primeira imagem é a de ondas invisíveis que viajam pelo ar, captadas pelos nossos ouvidos e interpretadas pelos nossos cérebros. Mas para além da sua dimensão auditiva, o som tem peso, movimento e força. O som possui uma história em si e o corpo procura incessantemente por uma história.

2024, Maio
Dom
5 MAI

Barro, Terra Molhada Onde a Bota Escorrega / Mafalda Deville

Memórias e sonhos ressoam, na caixa do tempo, onde o passado e o futuro nem sempre se sucede por esta ordem. Pela água, pelo fogo, pelas mãos. O corpo, matéria mutável, da lânguida sedução à catástrofe do caco. Tudo a preto e a vermelho. Como na roleta, os corpos entram no jogo.

Sex
17 MAI

KOKORO / Ana Isabel Castro e Deeogo Oliveira

1. Magoado, Melindrado, Pesaroso, Triste, Plangente, Sensível, Meio Podre, Combalido; 2. Função psicofisiológica que consiste em experimentar certa espécie de sensação; (...)

Sex
17 MAI

Apneia / Leo Calvino e Joana Couto

A normalidade retorna rapidamente e a sanidade não permanece em risco, basta virar para o outro lado e aconchegar-se novamente nas próprias conceções macias e cheirosas. Quantas camadas tem um sonho? Onde termina o sonho de um e começa o sonho de outro? Onde está a fronteira entre o real e o surreal?

Sáb
18 MAI

Simulacro / Carminda Soares e Margarida Montenÿ

"Simulacro" é um exercício de intimidade, repetição e resistência. Dois corpos em ação contínua exploram os limites da sua proximidade através da natureza degenerativa do gesto.

Dom
26 MAI

MAMA / Mafalda Deville

Em cena, uma personagem para duas intérpretes que vão invocando memórias, medos e inseguranças, em diálogo surdo entre si. O interior e o exterior, a queda e o salto, o privado e o público, tudo embrulhado em canções de embalar. Em cena dois corpos que não se cansam de tentar. Dois corpos que sabem que por vezes é preciso reaprender a viver, e até reaprender a respirar.

2024, Junho
Sáb
31 MAI E 1 JUN

Don’t cry over spilled milk / Beatriz Moreira, Iris Auguste e Giulia Micelli

Partindo da ideia de transgressão, “Trespass” procura encontrar o chão comum e ao mesmo tempo a polaridade humana entre o “bem” e o “mal”, explorando formas de humanizar o demoníaco e visceralizar o Humano. Procura o conflito e a paz, a sedução e o grotesco, a perfeição e o erro.

Sáb
31 MAI E 1 JUN

HIDE TO SEEK / Júlio Cerdeira

Partindo da ideia de transgressão, “Trespass” procura encontrar o chão comum e ao mesmo tempo a polaridade humana entre o “bem” e o “mal”, explorando formas de humanizar o demoníaco e visceralizar o Humano. Procura o conflito e a paz, a sedução e o grotesco, a perfeição e o erro.